2004/07/28

Cookie Cook-Off com Diabretes

Peço desculpa: o link do post Democracia das Bolachas [ver arquivo 6/2004] estava errado, muitos devem ter pensado, mas que tipa inteligente! quando saltaram para o site do Expresso e conseguiram associar, com ironia, uma qualquer notícia da actualidade com aquilo que eu tinha escrito. A verdade é que eu dou-me com o html como me dou com o Algarve no Verão, mal, e o link desse post deveria ir dar aqui, sem qualquer hipótese para dúvidas. A propósito da votação, e daquilo que está em jogo, escolher entre os bolinhos da Laura Bush e da Teresa Kerry, fiquei indecisa.

Os bolinhos da Laura são pálidos, os da Teresa dão a impressão que foram regurgitados, além de serem feitos com abóbora, que é coisa portuguesa, de aproveitar restos, o que fica mal numa milionária como ela. Nos tempos que correm não é bem votar em alguém que tenha o apelido Bush, eu sei, mas votar nos doentios bolinhos da Laura é que não, vai daí, e a propósito da convenção democrata, fui para a cozinha fazer Diabretes de Boston, fica aqui a receita,

[16 a 20 diabretes]

Manteiga - 75 g
Chocolate em Barra - 60g
Açucar - 180 g
Farinha [com fermento] - 75 g
Nozes [descascadas] - 60g
e
2 Ovos

Polvilhar e untar um tabuleiro, quadrado é o ideal, com + ou - 20 cm de lado para dar os 16 a 20 diabretes. Derreter, em banho-maria, a manteiga e o chocolate. Juntar ao chocolate e à manteiga o açucar, a farinha, as nozes [entretanto picadas] e os ovos batidos. Misturar com alguma rapidez e violência, que é o mesmo que dizer: misturar muito bem, e depois deitar no tabuleiro. Levar ao forno, temperatura média, durante + ou - 30 minutos, se houver alguma dúvida quanto ao tempo, é esperar até que a massa se solte das paredes do tabuleiro. Deixar arrefecer um nadinha e desenformar. Cá fora, e depois de estar realmente fria, corte em quadrados de 4 a 5 cm.

Prontos e servidos os diabretes, ouvi dos meus sobrinhos que se eu estivesse na corrida, os votos eram todos para mim. Fiquei contente com isso, foi uma demonstração de democracia viva à hora do lanche.